Aniversário do Coro - Série Depoimentos: Sebastião Ximenes Jr.

Sebastião Ximenes Jr.


Iniciei minha participação em corais em 1958, quando tinha 14 anos de idade. Tive o privilégio de estudar no Seminário Arquidiocesano “Maria Imaculada”, da Arquidiocese de Ribeirão Preto, e receber uma formação de bom nível, onde a música, o teatro, a pintura, eram atividades valorizadas e incentivadas. Lembro-me que chegamos a montar e apresentar uma opereta muito bonita em que o texto tinha partes faladas e partes cantadas. Foi uma experiência rara e muito valiosa para nossa formação musical. Tínhamos aulas de piano e uma banda na qual eu tocava trompete. No coral, a prioridade eram as músicas sacras que preparávamos para as festividades religiosas maiores. Havia também bastante gregoriano. Ainda me transporto para aquele tempo envolto em brumas quando ouço “Dies irae dies illa” (geralmente cantado em funerais) ou “Veni Creator” (para a festa do Espírito Santo), ou a Missa “De Angelis” e o “Te Deum” de Franceschini.  Meu gosto pela música sacra vem daí. Nesse ambiente eu vivi seis anos e meio, fase que está gravada profundamente na minha alma.
            Depois que saí do seminário participei de muitos outros corais de Campinas: o Coral da UNICAMP, o Coral Feliz, o Coral dos Funcionários do Tribunal Regional do Trabalho, o Coral “In Cantus” e o Coro de Câmera de Campinas. Assim experimentei diversos estilos de canto coral: alguns priorizando o gênero popular, outros, o clássico, o barroco, o renascentista e o negro spiritual. Gosto de todos esses estilos, mas o sacro é o que me satisfaz verdadeiramente.
            Há cinco anos tive o prazer e a honra de participar da fundação do Coral “Vozes do Carmo” da Basílica de Nossa Senhora do Carmo, de Campinas. Aqui reencontrei o meu estilo preferido e retornei ao primeiro período de minha vida de coralista, cantando e louvando a Deus com a música sacra e o canto gregoriano. Tudo isso valorizado pelo maravilhoso som do órgão de tubos “Tamburini”, magistralmente executado pelo nosso admirável regente e compositor, Júlio Amstalden, um apaixonado musicista, a quem muito agradeço pela dedicação e empenho na condução do coral. Sinto-me feliz no Coral, e abraço a  todos os colegas no ensejo do 5º aniversário desse grupo maravilhoso.

Campinas, 04 de agosto de 2014